'>

SECA: Se em Parauapebas, seria problema de gestão

Rio Parauapebas e igarapés que traçam a cidade
Está em evidência a crise hídrica que vem atingindo algumas regiões do sudeste, especialmente, São Paulo. Alguns, movidos pela força noticial e midiática resumem-se em dizer que o problema está na falta de gestão e investimentos do estado (para atacar ou favorecer algum candidato), o que também tem uma parcela de influencia, mas a real consequência disso vem de fatores conjuntos desde problemas estruturais,  fenômenos naturais e a má localização hídrica (maioria da população fica localizada na cabeceira do rio Tietê, onde o rio tem menos água). Ao pesquisarmos podemos notar que alguns especialistas chegam a reafirmar isto.

Nossa região, Parauapebas, é  hidrograficamente bem localizada como já citado em um artigo anterior ( pode ser constado por qualquer cidadão ). Outro fator que garante o equilíbrio hídrico da região é a grande flora que ela comporta, a Floresta de Carajás, que garante a formação de riachos em seu interior, fortalecimento dos lençóis freáticos, desaguando no Rio Parauapebas criando assim um ciclo hídrico interruptível. Diferentemente da região citada na abertura, o município é situado em toda a sua extensão, ao lado do Rio Parauapebas, além de ser interrompidos ao meio por pelo menos três riachos, perenes, que escoam para o rio, rio este usado para captação de água, podemos concluir que recursos hídricos não é o problema.

 Mesmo com as vantagens geográficas citada, Parauapebas vem sofrendo alguns desconfortos em relação ao abastecimento hídrico como:  falta d'agua para as atividades domésticas e comerciais, sucessivamente todos os dias em muitos bairros. Os riachos envolvem a parte interna e externa do município, porém não preservados e ecologicamente precários, onde seus mananciais são ignorados no âmbito preservacionista e suas margens (matas ciliares) são devastadas, em especial, por iniciativas imobiliárias, as mesmas protegidas por lei. 

A incapacidade do município em abastecer toda a população com água potável vem sendo duramente criticado há anos, uma das razões foi não planejamento quando principiou e a segunda é a não priorização atual para coibir esse problema.


A Seca em Parauapebas é uma das possibilidades não aplicável, mas a falta de diligência para tornar a água um bem comum, zelável, reaproveitável e preservada é evidente. A responsabilidade fica a mercê apenas dos que se auto conscientizam (que são poucos) assim acarretando a degradação/poluição/deterioração dos nossos recursos naturais.



Jorge Clésio, Acadêmico de Eng. De Produção e ADMIN do Grupo Eu Amo Parauapebas.

Parauapebas vive a maior crise moral e institucional da história

Esta foi uma afirmação feita pelo Parauapebense, Jorge Clésio em seu facebook:

Horário de verão começa no dia 19 de outubro.

O horário brasileiro de verão 2014/2015 começa no dia 19 deste mês, quando os relógios serão adiantados em uma hora nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. A medida, adotada para economizar energia no horário de maior consumo, vai até o dia 22 de fevereiro do ano que vem.
Pelo decreto que instituiu o horário de verão, a medida deve ser iniciada sempre no terceiro domingo de outubro e encerrada no terceiro domingo de fevereiro do ano subsequente. Mas, no ano em que houver coincidência com o domingo de carnaval, o fim do horário de verão deve ser no domingo seguinte. Como em 2015 o carnaval será no dia 17 de fevereiro, o horário de verão deverá acabar no dia 22 de fevereiro. O objetivo é evitar que, em meio a um feriado, alguns esqueçam de ajustar os relógios.
O horário de verão, instituído pela primeira vez em 1931, é adotado sempre nesta época do ano para aproveitar melhor a luminosidade natural do dia e reduzir o consumo de energia, que cresce naturalmente por causa do calor e do aumento da produção industrial às vésperas do Natal.
Com o horário de verão é possível reduzir a demanda por energia no período de suprimento mais crítico do dia, entre as 18h e as 21h, quando a coincidência da utilização de energia elétrica por toda a população provoca um pico de consumo. Com a redução, o uso de energia gerada por termelétricas pode ser evitado, reduzindo o custo da geração de eletricidade.
Segundo o Ministério de Minas e Energia, nos últimos anos a redução média da demanda de energia tem sido em torno de 5% nas regiões onde foi aplicado o horário de verão.
“As análises também demonstram que a redução da demanda de ponta tem evitado novos investimentos, da ordem de R$ 2 bilhões por ano, na construção de usinas geradoras de energia. A economia no consumo de energia, em megawatt-hora, em torno de 0,5%, é considerada como ganho decorrente, ou marginal, mas não pode ser desprezado”, informa o ministério.

Abrangência

De acordo com o Ministério de Minas e Energia, a experiência demonstrou que a aplicação do horário de verão é mais efetiva quando abrange regiões geoelétricas mais definidas, e a opção pela aplicação no Sul e Sudeste/Centro-Oeste justifica-se pelos melhores resultados alcançados, e por se constituírem estes submercados na maior parte da carga do País.
A sua aplicação da  medida no Norte e Nordeste não foi recomendada devido aos pequenos benefícios estimados nas avaliações do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).
Os fundamentos de aplicação da medida, entre os principais o aproveitamento da intensificação da luz natural ao longo do dia durante o verão, mostram que quanto mais próximo aos trópicos tal aproveitamento é mais intensivo e quando se afasta destes e se aproxima da linha do Equador, se reduz o aproveitamento, tendo em vista a menor intensificação da luz natural ao longo do dia, no verão.
Devido à grande extensão territorial do nosso País, é possível aproveitar-se o efeito na parte que os benefícios são mais expressivos, e aplicar-se a medida apenas como complementação, quando necessário, nas regiões onde os benefícios são menos expressivos.
Fontes: Agência Brasil

Software do Inpe atinge marca de 200 mil usuários.

Sistema de informação geográfica é mais utilizado no Brasil por pesquisadores e estudantes
Spring, software livre desenvolvido pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe/MCTI), ultrapassou em setembro a marca de 200 mil usuários nesta quarta-feira . Destinado a aplicações de sensoriamento remoto e mapeamento, o sistema de informação geográfica é o mais utilizado no Brasil por pesquisadores e estudantes.
Com funções de processamento de imagens, análise espacial, modelagem numérica de terreno e consulta a bancos de dados espaciais, o Spring pode ser utilizado em áreas diversas como agricultura, gestão ambiental, estudos de florestas, geografia, geologia, planejamento urbano e regional.
O software é utilizado também por usuários da Colômbia, Estados Unidos, Espanha, Argentina, Portugal, França, México, Peru, Índia, Venezuela, Itália, Chile e Alemanha, entre outros países.
Saiba mais
Os principais objetivos da ferramenta são construir um sistema de informações geográficas para aplicações em Agricultura, Floresta, Gestão Ambiental, Geografia, Geologia, Planejamento Urbano e Regional, além de tornar amplamente acessível para a comunidade brasileira um SIG (Sistema de Informações Gerenciais) de rápido aprendizado.
O SSpring também busca fornecer um ambiente unificado de geoprocessamento e sensoriamento remoto para aplicações urbanas e ambientais; ser um mecanismo de difusão do conhecimento desenvolvido pelo INPE e seus parceiros, sob forma de novos algoritmos e metodologias.

Banco oferece novos serviços on-line do FGTS.

A Caixa Econômica Federal (Caixa) passa a oferecer às empresas informações on-line sobre a situação do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e a regularização de débitos.
O objetivo é agilizar o atendimento, aumentar a segurança e o sigilo das transações com o FGTS, simplificar o processo de emissão do Certificado de Regularidade (CRF) e diminuir os custos operacionais. Atualmente, 3,2 milhões de empresas recolhem todos os meses o FGTS, e esses serviços só eram feitos diretamente nas agências da Caixa.
Essas novas funcionalidades, tornam mais acessíveis ao empregador as informações sobre a sua situação perante o FGTS e permitem, de forma fácil e rápida, a quitação dos débitos – emissão de guia para pagamento à vista ou parcelado – e a consulta de impedimentos ao CRF.
Segundo o Gerente Nacional do FGTS da Caixa, Henrique José Santana, atualmente, mais de 36 milhões de CRF são emitidos todos os anos, o que faz com que esse conjunto de serviços proporcione mais comodidade às empresas, que a partir de agora podem usar diretamente a nova versão do canal eletrônico Conectividade Social.
Por meio dele, é possível, ainda, o envio de arquivos mensais, a regularização de dados cadastrais, a comunicação de afastamento, a emissão de relatórios e o cadastramento do PIS dos empregados. Conheça, a seguir, as funcionalidades do novo serviço, disponível no site da Caixa.
Conectividade Social
- Regularidade FGTS: permite a visualização on-line de impedimentos ao CRF, bem como a emissão da Guia de Regularização de Débitos do FGTS – GRDE, por meio dos botões "Gerar Guia" e "Imprimir Guia", possibilitando a quitação à vista de débitos.
- Solicitar Parcelamento FGTS via CNS: permite a contratação do parcelamento de débitos do FGTS, nos critérios definidos pelo Conselho Curador do FGTS.
- Parcelamento Contratado via CNS: permite que o empregador visualize e imprima o seu contrato, consulte o saldo devedor e obtenha o detalhamento das parcelas que compõem o acordo de parcelamento.

Números de celulares do estado começam mudança para nove dígitos

Os aparelhos celulares do estado do Pará, que possuírem o código de Discagem Direta à Distância (DDD)  contarão com o dígito 9 acrescido à frente dos números atuais.Com a mudança, o dígito "9" será acrescentado à esquerda de todos os números atuais, que passarão a contar com o formato 9XXXX-XXXX. O novo dígito não será adicionado aos números utilizados em serviços que utilizam operações tipo despacho, ou seja, conexão direta via rádio.
Durante os dez primeiros dias da implementação, as ligações com 8 dígitos ainda serão completadas. Gradualmente, para adaptação das redes e usuários, haverá interceptações e os usurários receberão mensagens com orientações sobre a nova forma de discagem.
Regulamentação da Anatel
A Agência Nacional de Telecomunicações, o órgão federal que trata da regulamentação do setor, vem ampliando as ações voltadas a aprimorar as relações entre os consumidores e as empresas que atuam na área de telefonia. 
O maior marco foi a criação, em 2008, do Plano Geral de Atualização da Regulamentação (PGR), que prevê a promoção de parcerias da Anatel com órgãos oficiais de proteção do consumidor, como Ministério Público, Ministério da Justiça, Procons e entidades representativas da sociedade organizada, bem como com os órgãos oficiais de defesa da concorrência.
Para aumentar a efetividade da solução de reclamações de usuários, a Anatel mantém um sistema automatizado de registro, encaminhamento e tratamento das demandas.  O código 1331 recebe reclamações, sugestões e críticas dos usuários de serviços de telecomunicações enquanto o 1332 atende, com a mesma finalidade, exclusivamente pessoas portadoras de deficiência auditiva.

Fontes:  Anatel

Usuários podem efetuar cancelamento de linhas telefônicas.

As regras do Regulamento Geral de Direitos do Consumidor de Serviços de Telecomunicações (RGC) entram em vigor nessa terça-feira. O documento amplia os direitos de quem utiliza telefonia fixa e móvel, internet e televisão por assinatura. 
As novas obrigações previstas variam de acordo com o porte da operadora: as que têm até 5 mil consumidores, as que têm entre 5 mil e 50 mil consumidores e as que têm mais de 50 mil consumidores.
Os prazos que as empresas têm para se adequarem dependerá da complexidade da obrigação. As datas variam de 120 dias a 18 meses , contados a partir da publicação do Regulamento, para a implementação.
Veja abaixo as principais inovações que entram em vigor nessa terça-feira:
Cancelamento automático
Ficará mais simples para o consumidor cancelar um serviço de telecomunicações. Mesmo sem falar com um atendente da operadora, ele poderá cancelar seu serviço por meio da internet ou simplesmente digitando uma opção no menu na central de atendimento telefônico da prestadora. O cancelamento automático deverá ser processado pela operadora em, no máximo, dois dias úteis. O cancelamento também pode ser efetuado por meio de atendente, se o cliente assim desejar, e nesse caso se dá no momento da solicitação.
Call center:
Se ligação cair, operadora deve retornar para o consumidor: A prestadora será obrigada a retornar a ligação para o consumidor caso a mesma sofra descontinuidade durante o atendimento no seu call center. Caso não consiga retomar contato, a operadora deve mandar mensagem de texto com número de protocolo. Essa conversa deve ser gravada, a exemplo dos demais diálogos entre a central de atendimento da prestadora e o usuário, e deve ser armazenada por seis meses. O consumidor tem direito a cópia dessas gravações. 
Facilidade para contestar cobranças
Sempre que o consumidor questionar o valor ou o motivo de uma cobrança, a empresa terá 30 dias para lhe dar uma resposta. Se não responder neste prazo, a prestadora deve automaticamente corrigir a fatura (caso ela ainda não tenha sido paga) ou devolver em dobro o valor questionado (caso a fatura já tenha sido paga). O consumidor pode questionar faturas com até três anos de emissão.
Validade mínima de 30 dias para crédito de celular pré-pago
Todas as recargas de telefonia celular na modalidade de pré-pago terão validade mínima de 30 dias. Atualmente, são oferecidos créditos com períodos de validade inferior, o que confunde o consumidor. As operadoras deverão ainda oferecer duas outras opções de prazo de validade de créditos, de 90 e 180 dias. Estas opções devem estar disponíveis tanto nas lojas próprias como em estabelecimentos que estão eletronicamente ligados à rede da operadora (supermercados, por exemplo). O usuário também deverá ser avisado pela prestadora sempre que seus créditos estiverem na iminência de expirar. Os pré-pagos representam 78% da base de acessos móveis do País. 

Aplicativo que mede a qualidade da banda larga móvel já está disponível para usuários.

Os usuários de Iphone (IOS) e do sistema operacional Android podem, a partir de agora, medir a qualidade da banda larga móvel do seu aparelho, por meio de um aplicativo da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). No caso do Iphone, para instalar a ferramenta, o usuário deve fazer uma busca pela palavra EAQ (Entidade Aferidora da Qualidade) na Apple Store. 
Já os usuários de smartphones com o sistema Android também podem baixar diretamente do Google Play uma versão oficial do aplicativo "Brasil Banda Larga" desenvolvida para essa plataforma. Para outros sistemas operacionais móveis, as medições podem ser realizadas diretamente no site do projeto.
De acordo com a Anatel, o aplicativo é gratuito, seguro e não permite acesso ao conteúdo das ligações ou mensagens. O sistema vai colher informações como a velocidades de download e upload, o tempo de demora de acesso a sites e perda de pacotes, além de apresentar graficamente os resultados de todas as medições realizadas