'>

5àsec inaugura primeira loja em Parauapebas.


Rede de lavanderias dá continuidade ao plano de expansão da marca focado em cidades do interior e com previsão de abertura de 40 lojas até o final de 2014

São Paulo, abril de 2014 - A 5àsec acaba de inaugurar a sua primeira loja na cidade de Parauapebas, interior do estado do Pará. Esta é a sexta unidade da marca no estado. Com aproximadamente 176 mil habitantes, Parauapebas é o sexto município mais populoso da região paraense. A economia da cidade está em plena expansão e, por esse motivo, a empresária Luciana Espíndola, decidiu investir na nova loja, que está localizada na Rua C, nº 299, no Bairro Cidade Nova.

A inauguração faz parte do plano de expansão da rede, focado na popularização do serviço de lavanderia no Brasil, já muito utilizado em países europeus e nos Estados Unidos. A rede prevê o avanço da marca principalmente para as cidades do interior, onde o poder aquisitivo tem aumentado gradativamente. A expectativa da rede é inaugurar 40 lojas, em todo o Brasil, até o final de 2014. Maior rede de lavanderias do Brasil e do mundo, a 5àsec faturou, em 2013, R$173 milhões.

Sobre a 5àsec:

A 5àsec, maior rede de lavanderias do Brasil e do mundo, é líder no segmento de limpeza e conservação, e atualmente possui mais de 400 unidades, espalhadas por todas as regiões do Brasil. Especializada no tratamento de roupas e produtos têxteis, por meio de um sistema de limpeza de qualidade, que utiliza equipamentos e produtos de alta tecnologia em seus serviços, a 5àsec é reconhecida no mercado como uma lavanderia inteligente. Seus diferenciais estão centrados no atendimento ao cliente, com unidades projetadas para oferecer qualidade, rapidez, economia, modernidade e satisfação.
                                                                                                                            
Mais informações: www.5asec.com.br

Prefeitura de ParauaPebas Revitaliza a área conhecida como “pé inchado”


Sob a coordenação da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) e parceria das secretarias municipais de Urbanismo (Semurb) e de Saúde (Semsa); Departamento Municipal de Trânsito e Transporte (DMTT), Departamento de Arrecadação Municipal (DAM) e apoio das polícias Civil e Militar, vinte e dois moradores foram conduzidos para o Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua (Centro POP).
A gestora da Semas, Leudicy Leão, explica que o local possui outros problemas de ordem social. “Nem todos são moradores de rua. Existe um pequeno número de pessoas que utiliza o local para venda de drogas”, informou a secretária, completando que a organização da área “foi um pedido da própria população”.

Polícia impõe disciplina militar em escola pública de Goiás

Deu no GLOBO: Polícia impõe disciplina militar em escola pública de Goiás
Um grupo de adolescentes se perfila em formação militar, enquanto uma soldado armada os passa em revista. Nenhum deles masca chicletes. As garotas não usam batons ou esmaltes chamativos. Nas conversas não se toleram gírias. Todos são obrigados a cantar o Hino Nacional na chegada, a caminhar marchando e a bater continência diante do diretor. Não estamos num quartel, mas num dos dez colégios da rede estadual de Goiás cuja administração começou a ser transferida para a Polícia Militar desde janeiro, numa medida desenhada para amainar os repetidos casos de violência ocorridos numa região desassistida a apenas 40 quilômetros do Distrito Federal.
[...]
A escolha dos colégios não foi em vão. O entorno do DF convive com problemas crônicos de violência. Desde 2011, a Força Nacional de Segurança Pública reforça o policiamento. Em Valparaíso, o Colégio Fernando Pessoa já apareceu no noticiário policial depois que um ex-aluno foi assassinado a tiros ali. Em outra ocasião, uma professora sofreu um sequestro relâmpago ao sair do prédio.
A vice-diretora do Fernando Pessoa, que foi mantida no cargo, garante que a escola hoje é outra. Antes havia problema de tráfico de drogas e prostituição, os professores tinham medo dos alunos. No colégio José de Alencar os relatos são semelhantes: antes era tudo uma bagunça, hoje as coisas estão organizadas.
Claro que há críticas legítimas. O medo da repressão dos policiais ao fazer críticas é uma delas. Mas algumas reclamações parecem infundadas, e mostram justamente a distância entre a elite dos “especialistas” e a real necessidade dos alunos. Uma professora, por exemplo, reclama que experiências exitosas no mundo foram à contramão dessa verticalização, partindo para uma horizontalização que reduzia as relações hierárquicas.
Discordo. Ainda mais para a realidade brasileira. Acredito que essa mentalidade que rejeita e abomina qualquer hierarquia nas escolas e universidades está no epicentro de nossos problemas educacionais. Basta ver que alunos em universidades públicas invadem até a reitoria ou impedem professores de dar aulas se discordarem de sua mensagem. Isso é absurdo, demonstra que esses jovens chegam nas faculdades sem respeito pela autoridade, pelas regras, achando-se os donos do universo.
A disciplina funciona. Claro que o excesso de repressão pode sair pela tangente, pode ser um tiro no pé, gerando revolta. Encontrar um equilíbrio será o desafio constante. Mas não resta dúvida de que, atualmente, o pêndulo foi em demasia para o lado do afrouxamento das regras, do “vale tudo”, do desrespeito aos professores e às normas escolares.
Estudei minha vida toda em uma escola rigorosa, não só na cobrança da matéria (meritocracia) como na conduta. Havia fila diária para cantar o Hino Nacional, o uniforme tinha de ser usado à rigor, as meias eram brancas, não podia ter “pegação” no recreio, etc. Essa escola fica, até hoje, entre as 5 melhores do Rio em todo Enem. E mais do que o conteúdo ensinado, a lição importante que ficou foi justamente o respeito às regras, coisa que os mimados jamais suportaram.
Esses policiais estão levando para essas escolas disciplina, ordem e meritocracia. Como condenar isso? Podemos e devemos ficar atentos aos abusos, cobrar transparência e liberdade, inclusive para críticas. Mas o apoio popular, inclusive dos próprios pais e dos alunos, mostra como há um abismo entre o que prega a intelligentsia e o que deseja o povo.
Quem é contra a polícia normalmente é bandido. No caso dessas escolas públicas, diria que são aqueles que preferem a bagunça, a baderna, a esculhambação, tudo em nome da “igualdade” e da “horizontalidade” das relações hierárquicas. Eu prefiro a eficiência, a disciplina, a meritocracia. Cada um com suas escolhas…
Rodrigo Constantino

Dias piores virão

Abril já entra em sua segunda semana e foi totalmente por terra a possibilidade de que os níveis dos reservatórios do Sudeste-Centro-Oeste e Nordeste se recompusessem, pelo menos em parte, neste último mês do período úmido,.
É o que se conclui da leitura do mais recente relatório do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) sobre os índices pluviométricos de abri. Diz o relatório:
- As médias de afluências verificadas no trimestre para os subsistemas Sudeste/Centro-Oeste e Nordeste situam-se na posição de 3º pior do histórico de 82 anos. Além disso, o subsistema Nordeste apresentou as piores médias do histórico para os meses de fevereiro e março de 2014. A revisão de fechamento do mês de abril prevê afluências inferiores às previstas inicialmente para os subsistemas Sudeste/CO e Sul, e estabilidade para os subsistemas Nordeste e Norte.
Por Lauro Jardim

Covardia Premiada

Covardia premiada
Eis um exemplo de como é difícil acreditar em uma polícia melhor no Brasil enquanto os piores profissionais não forem banidos.
O major Bruno Schorcht, aquele que ficou famoso no Brasil por ser flagrado jogando spray de pimenta em mulheres e crianças no Morro do Bumba, em Niterói (RJ), em 2011, foi promovido.
Agora trabalha na Superintendência de Prevenção da Coordenação Estadual de Polícia Comunitária da Secretaria de Segurança.
Schorcht usou a sua truculência para reprimir uma manifestação contra o não-pagamento de aluguel social para os desabrigados das chuvas de 2010 em Niterói.
Por Lauro Jardim

Criança de 11 anos é atingida por tiro durante manifestação em Parauapebas.


Populares de Parauapebas estão revoltados com uma ação da PM. Alunos que participavam de uma manifestação em frente à Escola Municipal Antonio Matos Filho, no Bairro Nova Vida foram surpreendidos por policiais do Grupo Tático.
Os alunos estavam insatisfeitos com a situação em que se encontra a rua do estabelecimento de ensino e fizeram um protesto para chamar a atenção da imprensa local e autoridades competentes, com o objetivo de pedir o asfaltamento da rua Santa Maria.
Até a chegada do Grupo Tático da Polícia, a manifestação estava ocorrendo de forma tranquila, porém, o clima ficou bastante tenso quando o garoto Gabriel, de apenas 11 anos de idade foi atingido na testa em cheio por uma bala de borracha que teria sido disparada por um Policial Militar De acordo com informações repassadas à imprensa local pela mãe de Gabriel, apesar de ser aluno da escola, o garoto não estava participando da manifestação no momento em que foi atingido na testa por um tiro de bala de borracha. “Ele foi atingido por uma bala de borracha na porta da minha casa”, conta a professora Cidileia Martins, mãe de Gabriel. “Os alunos reivindicavam melhorias para a rua, que é um lamaçal. Meu filho vinha chegando em casa e foi atingido a milímetros do olho”, desabafa a mãe.
Por sua vez, Gabriel relatou que, no momento do tiro, o policial apontava a arma em sua direção. “Ele mirou pra onde eu estava. Tinha uma menina do meu lado e ele atirou, veio na minha mente para empurrar, e eu empurrei (a menina). Eu fiquei, e acertou o tiro em mim” disse o garoto.
Gabriel foi levado para um hospital do município, e recebeu alta após fazer exames. “Ele passou por especialistas, fez vários exames e, graças a Deus, não está com problemas no crânio. Vamos aguardar o inchaço diminuir para ver como está a visão dele”, conta a professora, que fez um boletim de ocorrência na Polícia Civil e aguarda a apuração do caso.
A mãe do menino acredita que o responsável deve ser identificado e punido. “Não estou aqui para acusar, mas eu acho que teve haver uma punição. Foi falta de responsabilidade. Uma manifestação que só tem crianças, dá para a polícia negociar, mas eles chegaram atirando”, critica.
Outro lado
A Polícia Militar informa que já foi determinada a abertura de procedimento apuratório por parte do 23º Batalhão PM, sediado em Parauapebas, afim de apurar as circunstâncias do fato citado e a responsabilidade dos policiais militares presentes na ocasião.

* Com informações do Portal G1/ Pebinhadeacuçar

Parauapebas ganhará duas UPAs com atendimento 24 horas.

Com a inauguração das duas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) que a Prefeitura de Parauapebas vem construindo nos bairros Cidade Jardim (tipo 2) e Jardim Canadá (tipo 3), prevista para os próximos meses, o fluxo de pacientes em busca de tratamento no hospital municipal Teófilo Soares, no Bairro Primavera, vai diminuir consideravelmente.
A média de atendimento diário nas duas UPAs será de 800 pacientes. As Unidades de Pronto Atendimento funcionam 24 horas por dia, sete dias por semana e podem resolver grande parte das urgências e emergências, diminuindo as filas no pronto-socorro do hospital público municipal.
Cada uma das UPAs disponibilizará atendimentos com seis médicos plantonistas e 18 leitos para pacientes que ficarão em observação no tempo máximo de até 12 horas. A área construída será composta por pronto atendimento, urgência, procedimentos, apoio diagnóstico e terapêutico, administração, entre outros espaços.
A UPA tipo II está sendo construída na Av. dos Buritis, área institucional 336, Bairro Cidade Jardim, e a tipo III na Av. A, Bairro Jardim Canadá.

Semas inaugura novas instalações administrativas.

Com o objetivo de ampliar e melhorar os serviços da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas), dois novos prédios administrativos foram inaugurados na última sexta-feira (28). Ao lado do prefeito Valmir Mariano, a gestora da Semas, Leudicy Leão, entregou a nova estrutura aos servidores e comunidade.
Os alunos do Centro de Referência da Criança e do Adolescente (Criar) receberam as autoridades, imprensa e comunidade que foram prestigiar o evento. As novas salas administrativas receberam também novos móveis, apresentando agora um espaço mais confortável. Segundo Leudicy Leão, as novas instalações visam garantir a qualidade dos serviços da Semas e bem-estar de servidores e cidadãos atendidos pelos serviços da secretaria. O prefeito concordou com a secretária, afirmando que “um bom local de trabalho influencia a produtividade dos servidores”.


Atividades de bicicross foram destaques no final de semana.

 
O evento teve como objetivo incentivar a prática na competição e a integração entre eles, visando manter o ritmo de corrida para as outras competições.
Muitos ciclistas participaram pela primeira da competição, nas seguintes categorias: iniciante A – alunos que ainda não estão aptos a andarem na pista, num circuito montado fora da pista; iniciante B – alunos já aptos a andar na pista; e expert – alunos que já participam de competição há aproximadamente um ano.
No final da corrida houve entrega de troféus e peças de bicicletas aos campeões de cada categoria.
Campeonato Brasileiro de Bicicross
Três atletas da modalidade bicicross, apoiados pela Semel, representaram o município de Parauapebas e conquistaram boas colocações na 2ª Etapa do Campeonato Brasileiro de Bicicross. A competição ocorreu nos dias 22 e 23 em Guará, cidade satélite de Brasília (DF).
O evento é organizado pela Confederação Brasileira de Bicicross (CBBX) e acontece em 4 etapas. Pilotos dos estados de Goiás, São Paulo, Minas Gerais, Ceará, Mato Grosso, Tocantins, Santa Catarina e Pará participaram da competição nacional, que é de caráter somatório para a próxima etapa.
Os atletas de Parauapebas conseguiram os seguintes resultados na competição: Luis Fernando da Silva foi o campeão da categoria 25 a 29 anos; Claudiney Santos conquistou o 3º lugar da mesma categoria (25 a 29 anos); e Rodrigo Lima ficou em 3º lugar na categoria Elite Man.

Samu recebe habilitação federal para funcionar em Parauapebas

A certificação da unidade foi feita na manhã desta terça-feira (25) pela consultora nacional do Samu, Luciana Nunes, servidora pública do Ministério da Saúde, com as presenças do prefeito Valmir Mariano; secretário municipal de Saúde, Rômulo Maia; coordenador local do Samu, Manoel Ilson; e da equipe de servidores que vai trabalhar na unidade.
Na visita de inspeção às instalações do Samu, a representante do governo federal reconheceu a unidade como uma das mais bem estruturadas que ela já visitou.
O prefeito Valmir Mariano explicou à consultora nacional do Samu que sua administração tem uma grande preocupação com a preservação de vidas, e por isso determinou que a unidade do Samu fosse dotada de estruturas que possam atender com segurança a população em momento de emergência.
Por sua vez, o secretário municipal de Saúde informou que inicialmente a unidade do Samu, que deve ser inaugurada dentro de poucos dias, vai funcionar com uma ambulância dotada de equipamentos, mas terá à sua disposição as demais ambulâncias adquiridas pelo município.
No momento da visita às instalações do Samu, Luciana Nunes aproveitou para explicar detalhes à equipe que vai ficar de prontidão 24 horas por dia quanto à responsabilidade de prestar o serviço tão importante de socorro à comunidade, como os preparativos da ambulância, equipamentos essenciais e os cuidados básicos que devem ter com as vítimas.
Como em todo o país, o Samu de Parauapebas atende pelo fone 192. Ao ligar para esse número, uma equipe preparada atende em Marabá, onde fica a Central de Regulação, e encaminha imediatamente o pedido para a unidade que solicitou atendimento de urgência.
Manoel Ilson, coordenador local do Samu, explicou que a equipe é composta por 13 profissionais de saúde, sendo sete técnicos de enfermagem e seis condutores de veículos de emergência, que vêm sendo treinados desde o final do mês de janeiro.
A unidade do Samu está localizada na Av. A, esquina com Rua 70, lotes 3 ao 7, no Bairro Jardim Canadá. A estrutura construída é de 476 m2 e conta com recepção, sala de equipamentos, sala de regulação, coordenação médica e de enfermagem, pátio para ambulâncias, sala de reuniões, entre outros espaços.